Sonho

A cabeça quase explode. As conversas confundem-se no ar. O nariz está roxo de tão massacrado pelo lenço de papel. A garganta arde. O ar queima. E mesmo assim só consigo pensar na imagem clara da cara que me assustou o sono.

Foi tão real que nem consigo perceber como posso lembrar-me tão nitidamente do olhar, daquele olhar que me sorriu em sonhos. Não consigo perceber!

Quase nem o vejo. Se falei com ele duas vezes é muito. E mesmo assim – de todas as pessoas que poderiam aparecer-me em sonhos – foi ele que me sorriu, sentado naquela cadeira envolta de confusão. Não consigo precisar onde estávamos, apenas me olhou, sorriu e disse: “Eu sei”.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s