Cria clareza na tua vida!

Tenho excesso de peso há vários anos.
Passei de vida de atleta de competição a processos frustrados de perda de peso.
Consegui perder peso em todas as vezes que me empurrei para dentro do consultório de um nutricionista, se bem que sempre o recuperei pouco tempo depois.
Para bem do meu ego inflamado, gostaria muito de vos dizer que entretanto, descobri uma fórmula maravilhosa para emagrecer. A verdade é que continuo a carregar este excesso.
De todas as vezes que perdi peso e voltei a recuperá-lo, foquei apenas a parte física – o meu corpo, as medidas, o peso, a alimentação, o exercício físico, as oscilações ao nível do meu sangue. Apenas o físico. Esquecendo de tudo o resto que me compõem; tudo o resto que me permite ser quem sou.
Depois houve fases em que esqueci o corpo e me liguei mais à alma. Queria descobrir quem era, o que me motivava e quem e como poderia ser. Foi num destes momentos em que tive o primeiro contacto com a numerologia, a astrologia e o tarot. Através destes, desvendei muito da minha personalidade. Daí parti para a prática de yoga, mesmo com todos à minha volta a dizer que precisava de outro tipo de actividade física para perder peso. Tentei o ginásio, as máquinas…que seca! Rápido desisti! Pela yoga entrei no mundo da meditação, da massagem ayurvédica e do reiki. Sentia-me cada vez mais em casa e em segurança. Cada vez mais capaz de gostar de mim, cada vez mais focada no meu bem-estar! Acham que perdi peso? Não.
Muita coisa iniciei, muita coisa desisti. Muitas vezes tentei perder peso e muitas vezes o recuperei. Estaria eu a falhar em alguma coisa? Que é que estou a fazer de mal para isto não resultar? Tantas pessoas faziam o mesmo e conseguiam perder peso. Por que motivo eu não conseguia fazê-lo?
Foi com esta energia que me levei a esquecer por completo o excesso de peso. Esqueci por anos. Até que por muita insistência do meu pai, decidi voltar ao consultório de nutrição e fazer mais um esforço para perder peso. Se bem que consciente que agora seria mais difícil, uma vez que estava muito próxima dos 40 anos.
A nutricionista era jovem e muito entusiasta. Procurava a todo o custo motivar a perda de peso, principalmente com recurso a suplementos. Devo confessar que sempre me neguei a tomar comprimidos ou outros suplementos para emagrecer. Cheguei a negar a banda gástrica – mesmo tendo visto os resultados maravilhosos que pessoas bem próximas de mim tinham conseguido. Pode dizer-se que sou muito teimosa e adversa a ter no meu corpo coisas que não façam parte dele de uma forma natural.
Perdi no máximo 8 quilos. Penso que não perdi mais. A verdade é que não conseguia perceber como podia eu estar a fazer tamanho esforço para tão pouco resultado. Tomei a decisão de parar de o fazer e caminhar sozinha. Não aconselho isto a ninguém. Fiz por achar que não o conseguiria de outra forma. Precisava de decidir o que queria para a minha vida, antes de recorrer aos outros. Tudo para decidir de uma vez por todas o caminho a seguir, como o seguir e que Cláudia Sofia percorreria aquele caminho.
Nós, os que temos excesso de peso, ouvimos muitas vezes que devíamos perder peso.
E que peso devemos perder nós?
Por peso, grande parte das pessoas, entende que devemos perder o volume de gordura que nos pesa todos os dias. Durante anos, vi o peso como algo físico, algo que podemos apalpar, como a gordura. Hoje, vejo a gordura como uma consequência do verdadeiro peso que carregamos. Não falo de peso físico, porque esse não existiria se o verdadeiro peso não existisse.
Então, de que falo eu?
Falo do peso invisível que carregamos.
Será que este peso, esta sobrecarga, pode justificar o volume que acrescentei ao meu corpo?
Talvez.
Tudo se tornar mais claro quando recorri à hipnose regressiva. Fui à primeira sessão sem saber muito bem ao que ia. Pensei ser apenas hipnose. A palavra regressiva perdeu-se no aglomerado de palavras que preencheram a conversa que me levou até ao consultório de uma terapeuta com o mesmo nome que eu – o primeiro e o último!
Maior coincidência que esta, impossível!!!
Bem, hipnose regressiva é um processo meditativo de regresso a determinadas fases da nossa vida. Essas fases podem fazer parte da vida actual e podem fazer parte de vidas passadas. Eu sempre acreditei que vivemos a experiência terrena mais do que uma vez. A vida é um processo de aprendizagem que nós, seres de luz, passamos para elevar cada vez mais a nossa energia.
Enfim, o meu processo de hipnose regressiva foi muito esclarecedor. Consegui perceber o porquê de ser quem sou e como sou. Compreendi determinados relacionamentos que tenho e tive. Iluminei o meu mundo e aprendi a aceitar os dons que trouxe a este mundo e que tanto me amedrontavam.
Querem saber se isso me fez perder peso?
Sim. Libertei-me de um peso que não sabia ter. Libertei-me do peso que sentia no coração e na mente, que trazia de outras vidas e me faziam acreditar que precisava proteger-me atrás de um corpo enorme que mantivesse os outros afastados de mim. Mantendo os outros à distância conseguiria evitar a dor que tinha sentido noutras vidas e que carregava dentro de mim.
Esta perda de peso espiritual não elimina volume corporal nem reduz a gordura que incha o meu corpo, muito menos diminui o meu peso físico. O que faz é tornar consciente as crenças que trago de outras vivências e que me impedem de viver todo o meu potencial! Desta feita, pude perceber porque motivo perdia 20 ou mais quilos e voltava a recuperá-los. Acreditava que se diminuísse o meu volume, os outros estariam mais próximos de mim, logo eu estaria em perigo. Deixar que qualquer pessoa se aproximasse de mim era uma sobrecarga emocional para a qual não estava preparada.
E hoje? Será que hoje estou preparada para lidar com essa sobrecarga? Será que essa sobrecarga é realmente uma sobrecarga? Ou será que hoje estou capaz de lidar com o que a vida me traz?
Não sei!
Sinceramente, não sei! Não sei se estou capaz de lidar com esta sobrecarga. Nem sei se é verdadeiramente uma sobrecarga. Muito menos sei se hoje estou capaz de lidar com o que a vida me traz. O que sei é que mais importante do que perder peso é ganhar clareza. E a clareza traz-nos saúde. A saúde não é física, nem emocional, nem mental, nem espiritual. A saúde é o todo que nos capacita a viver este processo de aprendizagem conscientes da nossa própria vulnerabilidade. Sem culpa, sem vergonha, sem apego, sem medo. Apenas com empatia e compaixão pelas vulnerabilidades que nos enriquecem e motivam a agir conectados ao mais profundo do nosso ser.
Conseguiram detectar um padrão em tudo o que contei até agora? Se estiverem atentos, podem perceber que segui uma ideia base nos anos de tentativas frustradas de perder peso: a ideia de trabalhar apenas uma parte de mim – primeiro o corpo, depois a alma! E o coração e a mente? Ups!!!
Curioso, se olharmos bem, o QUEM inclui o quê, o como e o porquê! Se olharmos bem, o QUEM inclui o corpo, a mente/coração e a alma. Se olharmos bem, o QUEM inclui o corpo exterior, o corpo interior e o corpo superior.
Se me olhar ao espelho e perguntar quem és tu, será que poderei dissociar o meu corpo, o meu coração, a minha mente ou a minha alma da resposta a esta pergunta?
Acredito que não.
E perguntam vocês, que relação tem tudo isto com a perda de peso?
A perda de peso passa pela harmonização dos nossos corpos exterior, interior e superior.
De nada nos serve perder peso físico, enquanto continuamos a carregar uma sobrecarga interior e superior que nos torna a cada dia mais doentes!
Posso dizer com segurança que conheço pessoas obesas mais saudáveis que muitas pessoas que estão dentro do peso ideal, que praticam exercício físico diariamente e que têm o maior cuidado com a alimentação.
Porque será?
Será pelo peso corporal que não têm? Ou será pelo peso invisível que carregam?
Recordo-me de uma amiga de infância que sempre teve muito cuidado com a alimentação. Sempre se manteve no peso ideal. Sempre comeu legumes, frutas, peixe magro grelhado, carnes magras grelhadas – e em poucas quantidades. É do tipo de mulher modelo – sem ser excessivamente magra. Praticou desporto. Não fumava, bebia com moderação, tinha uma vida saudável e activa. A verdade é que sempre a ouvi reclamar do facto de ter um colesterol (mau) alto e de dores no corpo.
Muito cedo, comecei a engordar. Passei a ter uma vida mais sedentária, em virtude de uma lesão física, fiz uma alimentação sem preocupações a comer de tudo e por vezes muito. É verdade que não fumo, não bebo, porque nunca gostei. Mesmo assim, com excesso de peso e pouca actividade física nunca tive colesterol alto, nunca senti dores no corpo e tenho mais energia que muitos activos.
Por isso, digo: o segredo não está em perder peso. O segredo está em ganhar clareza e, com isso, saúde! E a saúde é holística! Não há saúde apenas no físico, porque as emoções e o nosso adn espiritual influenciam a saúde física. E muito!
Vou dar-vos mais um exemplo.
Por causa da sobrecarga que sentia por ser muito sensível, bloqueei as minhas emoções. Queria bloquear as emoções que sentia do mundo à minha volta e a única forma que encontrei foi bloquear as minhas emoções. Afinal, se eu não sentir, nada me afecta. Certo?
E assim foi, bloqueei as minhas emoções. Bloqueei todas as emoções, sentimentos…tudo. Desliguei-me por completo do meu coração e, de certa forma, da minha mente. Isto aconteceu por volta dos oito anos.
Sabem como sei quando aconteceu? Aos oito anos desenvolvi pele atópica e com ela feridas e manchas pelo corpo todo. Durante anos fiz exames, tratamentos e os médicos apenas diziam que não sabiam o que era e que, estranhamente, os exames apenas acusavam pele seca, extremamente seca. O conceito de pele atópica surge mais tarde.
Agora, pensem comigo: se não me aceito como sou, emocionalmente ou espiritualmente, isso quer dizer que não gosto da minha pele. Certo?
Pois!
Eu não gostava de mim. Eu tinha medo de mim. Se assim é, a minha pele comunica isso mesmo com o exterior. A minha pele adoptou a sensibilidade que eu não queria aceitar!
Todo o meu corpo gritava pela aceitação da minha sensibilidade extrema.
E, por mais incrível que possa parecer, todas as pessoas que me rodeiam adoram esse meu lado mais sensível ao que elas sentem!
Então, porque motivo me neguei eu a apenas ser?
E lá voltamos nós ao peso! Peso emocional impresso no meu adn espiritual que me impede de apenas ser!
Com a hipnose regressiva descobri que durante vidas tive que esconder o que era. Fui obrigada pelas vicissitudes da vida a esconder e rejeitar os dons naturais que tinha, apenas por não serem aceites pelos outros. Fui rejeitada por ser eu mesma. Assim, imprimi na minha alma a necessidade de esconder quem sou de verdade. Ser autêntico é ser rejeitado! Esta é a grande crença que trago dentro de mim!
Sei que há pessoas que não acreditam em vidas passadas e que vão achar tudo isto uma grande parvoíce. Tudo bem! Aceito que essas pessoas sejam como são! E aceito também ser quem sou!
Não pretendo mudar crenças, nem mesmo entrar em conflito com alguém. A minha motivação é apenas falar ao coração daqueles que se identificam com o que escrevo.
Na verdade, o que pretendo com este longo e sentido desabafo é motivar-vos a clarificar o que vos rouba saúde e a focar a vossa atenção numa saúde global. Nós não somos apenas um corpo. Nós somos uma alma que por vezes utiliza um corpo!
E tudo o que está inscrito na nossa alma condiciona o nosso corpo físico e a nossa vida. Acredito verdadeiramente que a escolha desta vida foi feita por nós, fomos nós que definimos as experiências que queríamos viver para crescer como seres de luz únicos!

Anúncios

3 Replies to “Cria clareza na tua vida!”

  1. Olá Cláudia!
    Gostei muito do teu texto. Principalmente porque desvenda algumas questões sobre ti!
    Não deves ter medo de te dares aos outros!
    Quando somos genuínos com os outros, recebemos em dobro aquilo que damos e de com quem nos damos!
    A história da hipnose regressiva sobre ti pós me a pensar… Acho que também deveria experimentar e resolver algumas questões comigo mesma!
    Obrigada pela partilha¡
    Sejamos felizes ¡😉

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s