Continua a acreditar!


Rejeição…
Sentir-me rejeitada…
Que sentimento tão estúpido e vazio!
Será que alguém me rejeita de verdade ou será essa rejeição para consigo mesmo?
Cada vez mais acredito que todas as atitudes, comportamentos, palavras – sejam boas ou más – são reveladoras do nosso nível de auto-estima, de valorização pessoal.
Por outras palavras, as nossas atitudes, comportamentos, palavras estão relacionadas com o que sentimos por nós mesmos e não com o que sentimos pelos outros.
Talvez por isso seja tão difícil para mim desistir das pessoas!
Quem rejeita, rejeita-se a si mesmo!
Procura rejeitar, afastar as confusões, os conflitos, os medos, as crenças, os preconceitos que leva a sentir-se completamente perdido dentro de si mesmo!
Eu não consigo desistir dos outros!
Sou o tipo de pessoa que diz: “Se precisares de mim, estou cá; Se não precisares de mim, estou cá na mesma; Vive o que tens que viver para, por ti, perceberes o que estás a viver, porque a vida vai ajudar-te a perceber”.
Afinal, cada um deve responsabilizar-se pela tomada de consciência do que está a fazer, do porquê de o fazer como faz e, principalmente, que impacto essas atitudes, esses comportamentos, essas palavras têm na sua vida.
Estou aqui para ajudar, se quiserem a minha ajuda – é para isso que me preparo há anos, é para isso que trabalho em mim todos os dias…
Agora, não é responsabilidade minha tomar consciência disso; cada um tem a sua!
Por exemplo, há pessoas que saltam de um relacionamento para outro e nem se dão conta do padrão que estão a repetir! Acreditam que não merecem ser amadas.
Todos merecemos ser amados.
Todos merecemos amar.
Todos merecemos ser felizes.
E, mesmo assim, existe um número elevadíssimo de pessoas que não o conseguem.
Caem sempre no mesmo padrão relacional, porque não se dão tempo, não conseguem ficar sozinhas para perceberem que pontos comuns existem nas várias relações.
Só depois de tomar consciência do que está a repetir-se nos relacionamentos, do que tem de ser mudado e da responsabilidade que temos neste processo, é que é possível amar, ser amado e ser feliz!
Esta tomada de consciência é intransmissível!
Ninguém vai fazê-lo por nós!
Pode ajudar-nos, se bem que só nós o podemos fazer!
A verdade é que não é por alguém ter mais dificuldade em tomar consciência do que está a provocar na própria vida, que lhes viro as costas.
É mais fácil desistir do que continuar a acreditar!
E não há que ter medo de ser criticado por continuar a acreditar!
Sei que é difícil fazê-lo quando tudo aponta a desistência como a saída mais correcta.
Não é por ser mais fácil que é a mais correcta!
As coisas são correctas quando fazem sentido na nossa vida.
Uma atitude, um comportamento, uma palavra é correcta quando faz sentido para nós.
E só faz sentido quando está alinhado com a nossa essência.
Quando vem do que é mais subtil e genuíno em nós!
Não vem da nossa mente, nem das ilusões, dos medos, das dúvidas que esta cria!
Vem da nossa subtileza!
É algo que nos sai naturalmente!
E é uma força para nós!
Fortalece-nos!
Isso é o correcto!
Tudo o que esconde o que é mais autêntico em nós, mais genuíno, o mais natural acaba por nos enfraquecer e abrir caminho a frustrações, a complexos de inferioridade, a medos, a doenças que se transformam em atitudes, que se transformam em comportamentos, que se transformam em padrões e acabam por transformar a nossa vida em algo que não queremos viver.
E assim entramos num ciclo vicioso!
Há que quebrar esse ciclo!
Por isso é que continuar a acreditar faz sentido para mim!
E dá-me uma força para compreender determinadas atitudes, comportamentos, palavras, ausências, silêncios e determinadas decisões!
Porque eu acredito que esse caminho de desencontros nos encaminha para o que é mais genuíno em nós, para um amor-próprio e pelos outros tão incondicional que quebra barreiras, que ultrapassa obstáculos, que nos torna sobre-humanos!
Que nos faz acreditar que somos o Universo.
Deixamos de ser humanos e passamos a ser o Universo
Uni – unidos com o que há à nossa volta – Verso!
Continuar a acreditar é solitário?
Sim.
É um lugar solitário, porque acreditamos naquilo em que ninguém mais acredita!
Somos muitas vezes olhados como loucos
Como pessoas que não têm qualquer noção da realidade!
Pessoas que não têm auto-estima e não exigem respeito por si!
A verdade é que é exactamente o contrário!
Porquê trazermos para dentro de nós sentimentos de conflito, de mágoa, de raiva, de tristeza, de ódio, de frustração quando temos alternativa de continuar a acreditar e de nos fortalecermos nessa confiança no caminho que escolhemos?
Trazer esses sentimentos densos, pesados, negros para dentro de nós quando temos alternativa, isso sim, é loucura, é falta de noção de realidade, sinal de uma baixa auto-estima…
Há momentos em que vivemos esses sentimentos mais densos para aprender algo que não estamos a conseguir aprender de outra forma, logo não temos alternativa!
Esses momentos são, também, de criação de nós mesmos, de fortalecimento.
A verdade é que quando temos alternativas mais elevadas e subtis, optar por sentimentos densos é enfraquecer em vez de fortalecer!
A escolha entre viver de forma mais elevada ou mais densa é responsabilidade nossa!
Não podemos controlar as atitudes, comportamentos e palavras dos outros. Apenas podemos escolher de que forma vamos receber o que nos oferecem!
Se podermos receber o que nos dão com compaixão, com compreensão, com amor e com a intenção de transmutar a energia que nos estão a dar, para devolver algo mais leve, mais sereno, mais enriquecedor, mais empoderante, seremos todos mais felizes!
Voltando ao início, se sentir que alguém me rejeita por medo, por crenças limitadoras, por preconceito não vou rejeitar essa pessoa. Vou abraçá-la, quantas vezes forem necessárias! Porque o que ela precisa naquele momento não é que a rejeite, que dispare acusações e vire costas.
Aquela pessoa precisa de um abraço, de compaixão, de compreensão, até mesmo de espaço, de alguém que questione aquela atitude sem julgamento de forma a perceber o que está a fazer e o que a motiva a fazê-lo!
Afinal, sou reflexo do Outro!
Dou o que sou capaz de ser em determinado momento!
Sou capaz de ser apenas a consciência que já fui capaz de tomar!
Sempre que apontamos o dedo a alguém, temos pelo menos três dedos apontados a nós! Isso simboliza a nossa capacidade de enxergar nos outros apenas aquilo que somos ou já fomos!
Por isso, continua a acreditar!
Mesmo que tudo o que acontece à tua volta aponte o contrário.
Se esse acreditar te fortalece, te devolve o teu poder, te permite construir em cima de ruínas, então continua a acreditar.
Porque é essa confiança, é esse continuar a acreditar, esse continuar a construir, mesmo com tudo a desmoronar à tua volta, que vai fazer que, mais à frente, recebas aquilo que tanto desejas!

One Reply to “Continua a acreditar!”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s