Entre olhares

Os olhares chocaram. A temperatura corporal subiu. As emoções modificaram as suas posturas. Sempre que entrava no metro procurava-a. Ela mantinha o olhar atento à porta e assim que ele a encontrava fugia para o escuro do túnel. Ele procurava sentar-se bem perto dela, se bem que a ansiedade abanava-lhe as pernas. Apenas os sentimentos …

Será que antes de conhecer é possível saber?

O mundo está cheio de opiniões sem qualquer fundamento sério. E destas nascem julgamentos desfavoráveis sobre pessoas, lugares, culturas, tradições. Enfim, o hábito de fazer julgamentos e generalizações apressadas acaba por motivar sentimentos hostis que terminam em atitudes de intolerância. O dia-a-dia é um bom exemplo disso. Quando saímos de casa cruzamo-nos com várias pessoas. …

Fiel? A ti ou ao outro?

Mais uma saída com amigos. Esta acabou em silêncio depois de muita confusão. Lembrei-me de dizer que a fidelidade é uma ilusão. Caíram todos em cima de mim. “Não sabes o que dizes” gritaram uns. Outros diziam que era completamente louco. E ainda houve quem apontasse o dedo ao facto de não ter relações duradouras. …

De coração aberto

A sociedade tecnológica surgiu, em parte, como resposta à necessidade de tornar as pessoas mais próximas, facilitando assim as relações pessoais, comerciais e institucionais. Pensando bem, parece ridículo o que acabei de escrever. Hoje é possível falar, ver e alcançar em pouco tempo alguém que está a quilómetros de distância; é verdade e um facto. …

A minha sociedade

Há alguns anos atrás, uma prima minha esteve em Cuba. Ela estava a estudar medicina e fez um estágio num hospital cubano. Em conversa, numa daquelas festas de família habituais, ela irritou-se com primos e tios quando começaram a dizer que, na altura da ditadura, vivia-se muito melhor em Portugal. Devo explicar, antes de mais, …

Toda a gente sabe…

Por hábito vou pouco a cafés e ontem acordei com uma vontade enorme de me esconder no meio da multidão, que sempre enche os cafés mais concorridos. Assim que lá cheguei, sentei-me com uma garrafa de água à minha frente e um caderno de apontamentos à mão. A garrafa era daquelas que contem 33 cl …

A olhar o mar!

I. A olhar o mar percebi que para nos unirmos verdadeiramente a outro ser há que alcançar a naturalidade das ondas do mar, que chocam umas nas outras e rapidamente se transformam numa só onda gigante, reforçando assim a sua força. II. A olhar o mar perguntei-me como conseguem as ondas do mar chegar à …

A vida de um copo!

O meu ser esculpiu com o fogo. O meu carácter vincou com a água. Pouco depois, abraçou-me com as suas mãos fortes e ásperas e ofereceu-me a quem cuidaria de mim. Pela mão de estranhos toquei mundos distantes, aos quais deixei momentos refrescantes de prazer. Sentia-os a vibrar ao sabor do meu fluir colorido. A …