Porquê?

escrita criativa, relatos pessoais, meditação, evolução

Por entre a escuridão, uma chama ilumina Ganesha e a árvore da saúde. Várias pedras de quartzo rosa, água marinha, ágata de fogo e jade, rodeadas por um terço verde, os separam. A chama estremece… Fecho os olhos e inspiro profundamente. O batimento cardíaco harmoniza-se com o ritmo da respiração. Os ombros relaxam e todo o corpo se afunda em direcção ao assento de cânfora… Aquele baixar à Terra desenrola um som inesperado de água. Abro os olhos e noto uma redução estranha no tamanho da chama; quase parece apagar-se. E de repente, ganha nova força. Que estranho! Subi à mente e ouvi a palavra “porquê”. Quase em catadupa, surgiram diversas perguntas sobre o porquê daquele som ou do tamanho da chama oscilar ou mesmo o que teria acontecido à vela… Estas foram silenciadas por outra dúvida… Porquê tanta necessidade de saber o porquê das coisas?

Crescer, sempre! E como?

escrita técnica, artigos

Parece que destas definições a que melhor exprime o sentido de desenvolvimento é “tirar do invólucro”, visto o desenvolvimento ser a capacidade que cada um tem em tirar de dentro de si melhores competências, habilidades e atitudes.

Por onde começar…

escrita criativa, crónicas

Estás a derrubar as paredes que constituem a tua área de conforto. Queres sair dela sem sentires estranheza ou sem te inquietares com o desconhecido? Sair da tua área de conforto é começares a ver o mundo de forma diferente, de uma forma que tu não sabes muito bem o que é, se bem que sais à descoberta! Enfim, este sentimento de desnorte vai levar-te a ver as coisas e as pessoas que estão em teu redor, a tua própria vida e a ti mesmo de uma forma diferente, mais descontraída, mais liberta de preconceitos e de pré-conceitos do que é suposto existir ou ser. O caos torna a vida mais simples assim que tu aceitas o que esta te traz e, principalmente, assim que vives de forma autêntica.

Abraça a transformação!

escrita criativa, crónicas

A transformação ocorre, assim, por entre períodos mais fáceis e outros mais difíceis, períodos em que vamos questionar tudo e outros em que somos invadidos de uma força inabalável, períodos em que a transformação acontece de forma rápida e outros que parece estagnar, não temos consciência de existir uma evolução, tal é a lentidão. Esta oscilação pode provocar frustração e desmotivação. Consequentemente, a transformação assusta. Enche-nos de medos e dúvidas, pois começamos a perceber que a personalidade que identificamos em nós transforma-se numa ilusão e desvanece por completo. A verdade é que tudo isto é necessário para nos conectar com o que de mais autêntico existe em nós; vem desvendar a nossa essência, perdida atrás de véus que nos iludem e aprisionam.