Na praia com…

E para mudarmos “a merda da nossa vida”, como tão bem disseste, isso tem que mudar. Essa perspectiva que a vida é uma entidade separada de nós. Para mudarmos a nossa vida, há que começar por mudar aqui dentro (encostei o dedo indicador à têmpora direita). Para que isso aconteça, convém que comecemos por mudar a perspectiva que temos de nós mesmos, do ambiente que nos rodeia, dos outros e dos acontecimentos da nossa vida. A partir do momento em que mudamos a nossa perspectiva, estamos gradualmente a mudar o mundo!

Libertar

Meditar não é não pensar! Pensar é intrínseco à mente! Por isso, a ideia de uma meditação que limpa os pensamentos da nossa cabeça para cair num vazio total minava à partida uma meditação que relaxa, reenergiza e liberta. A meditação não é limpar. A meditação é libertar. A meditação não é desespero nem fracasso, muito menos controlo e descontrolo. A meditação é o acto de libertação dos pensamentos, aqueles que passam a mil à hora... Eles estão presentes. Nós sabemos que lá estão. E sentimo-nos livres. Deixamos apenas que existam. Temos consciência deles sem nos apegarmos. O desapego liberta-nos de coisas sem importância e conecta-nos ao que é essencial na nossa vida.

Energias renovadas através do Pranayama

Esta terapia é nada mais do que a arte de dominar a respiração, já que é através dela que recebemos o ar que nos permite viver. Esta arte é utilizada por todo mundo por desportistas, por cantores/tenores, por actores de teatro e artistas de palco. Todos aprendem a dominar a respiração de forma a projectar melhor a voz, a oxigenar melhor os músculos de forma a ter mais força durante mais tempo ou apenas para controlar o nervosismo antes de um teste importante.

União da meditação com o exercício físico

O truque é concentrar a nossa atenção na respiração. A cada inspiração sentir o ar a percorrer o organismo e a cada expiração controlar o ar de forma a aumentar o tempo da libertação do ar. A cada movimento sentir o nosso corpo, as nossas sensações, os pensamentos que nos provocam, sem permitir que nos alterem as emoções. A ideia é libertar por completo os pensamentos. Deixá-los fluir, se bem que mantendo-os à distância da nossa essência.