Profundamente grata!!!

Do nada, vi um ligeiro de carga a dar várias voltas no ar. Ainda hoje não consigo perceber o que aconteceu… Esse voo aproximou-se a alta velocidade do separador central que me separava dele. A minha primeira reacção foi tirar o pé do acelerador Não tinha para onde fugir – estava na faixa da esquerda, a ultrapassar um camião. E numa fracção de segundos, carreguei no acelerador a fundo… O condutor do camião encostou-se à lateral direita e reduziu a velocidade; aproveitei a oportunidade para fugir para a direita. O ligeiro de carga bateu no separador central e manteve-se do lado de lá. Respirei de alívio!

Que dia!

Que dia surpreendente! Fechei os olhos durante uns minutos e procurei relaxar… Digo que procurei, porque não relaxei. Saí do carro e caminhei em direcção ao mar. Estava um vento frio e desconcertante! Não conseguia sentir o meu corpo. Respirar então… Impossível! Voltei para o carro Queria aquecer-me e recuperar os sentidos Recuperar o meu olfacto Recuperar a minha consciência… Levei a minha écharpe até ao nariz E senti um aroma maravilhoso Lembrei-me da sinergia de óleos que passo no corpo, todos os dias! Aquele aroma indescritível fechou-me os olhos O toque das pestanas empurrou-me para o vazio, o silêncio, a paz!

O que me trouxe até aqui…

Quando nasci, passei de uma dimensão subtil a uma dimensão densa – como qualquer um de vocês – passei de um estado etérico a um corpóreo. E assim vive a sabedoria subtil no mundo material. Até aos quatro anos vivemos (agimos) consoante essa sabedoria. Talvez por isso a leveza do toque de um bebé ou a ingenuidade de uma pequena criança… Essa sabedoria é a nossa essência Universal e subtil, que se esconde no âmago do nosso ser, rodeada de muros construídos ao longo do processo de aculturação, por que todos passamos. Estes muros são o que são, num mundo de densidade máxima. Essa subtileza é o que de mais genuíno temos em nós E é, por isso, o que nos torna mais vulneráveis! Camuflá-la é afastar de nós o que nos une à essência universal e nos leva a viver em constante procura de algo que já existe, se bem que temamos assumir.

Questionar

O mestre trouxe a chaleira, deitou o chá na chávena – e continuou a deitá-lo. A chávena já estava cheia e o chá começou a transbordar para cima do pires, mas ele continuou a deitá-lo. Foi então que o pires também ficou cheio. Só mais uma pinga e o chá começaria a transbordar para o chão, pelo que o professor disse: «Pára! O que estás a fazer? Estás louco ou quê? Não vês que a chávena está cheia? Não vês que o pires está cheio?»

Sinto-me perdida

Cada pedaço de mim, desprovido de sentido, vibra em mim um desassossego colossal! Desassossego inquietante que me serena os sentidos, que me acalma a mente e me entrega à consciência do que crio na vida!

Sentidos

O ser humano associa, com alguma regularidade, novas ideias e acontecimentos à compreensão prévia que tem do Mundo, que provém das inúmeras experiências de vida. Cada uma destas experiências inclui elementos provenientes de uma associação dos sentidos, que consistem nas funções que propiciam os seres vivos de perceber e reconhecer as características do meio ambiente em que se encontram.

Os sentidos básicos do ser humano são cinco – tacto, audição, olfacto, paladar e visão, servindo-se respectivamente dos seguintes órgãos: pele, ouvidos, nariz, língua e olhos.

Sou suficiente!

Através do confronto com o que que estamos a sentir e não estamos a ser capazes de reconhecer e assumir, com o que estamos a pensar e não faz sentido, e com o que estamos a viver, mesmo que seja um vazio de palavras, chegamos à criação de quem somos de verdade! Percebi que estes momentos de bloqueio criativo surgem quando tenho necessidade de me desapegar das crenças que me levam a pensar que não sou suficiente. Sou suficiente!

Dedicação

"Sonhos e dedicação são uma poderosa combinação." William Longgood Dedicação…Palavra muito utilizada em vários ambientesO ambiente familiar, o profissional…Se bem que pouco se pensa sobre o seu significado. Dedicação provém da palavra latina “dedicatióne” e significa consagração. Esta origem conecta o conceito de dedicação com o acto de homenagear ou de se entregar a algo …

Mais Portugal, mais Português!!!

Resta-nos assumir o que fomos, o que somos e o que queremos ser. Assumir os erros cometidos até então! Por todos nós! Afinal, o voto dá-nos a responsabilidade de sonhar e de exigir os nossos direitos e de cumprir os nossos deveres. Votamos em governantes para facilitar a gestão do país. Mesmo assim, é nosso dever cuidar para que essa gestão seja de qualidade e justa para todos os cidadãos.

A Ciência da Vida

Harmonia era algo que não vivia há 16 anos atrás. Sentia que tinha perdido tempo fundamental da minha vida. Sentia que o tinha gasto em coisas sem importância, relações sem sentido. Tinha dedicado anos a pessoas e trabalhos que apenas me sugavam a energia. Sentia-me incompleta; faltava-me algo; não fazia ideia o quê. O sentimento de incapacidade para mudar o rumo da minha vida levou-me à numerologia, depois à Yoga e posteriormente à massagem.

Quero ser feliz!

Que viagem!!! Há uns anos atrás, recebi uma dádiva do Universo, sob a forma de uma epifania tão estranhamente natural na minha vida. Num daqueles momentos em que rir magoa, sentir leveza é encarado como um sinal de loucura… Enfim, estivesse eu em casa, no trabalho, com amigos – fosse onde fosse – o mundo pesava-me as costas, não conseguia sentir-me bem, integrada.

De volta a casa!

Foi na solidão que nos encontramos e reconhecemos! E é na solidão que nos reinventamos!

Feliz Natal

O Natal é época de paz, amor e gratidão. Acredita nos teus sonhos e prolonga pelo ano fora esta energia vibrante de luz branca. Sê bondoso (a) com os outros, pois fazem o possível de acordo com os recursos que têm. Sê bondoso (a) contigo mesmo (a), pois também tu fazes o que podes com …

Dia de Lua Cheia

O Natal é uma época de paz, amor e gratidão! Paz de espírito… Amor-próprio e amor ao próximo… Gratidão por tudo o que temos, somos e o todo que a vida nos dá! Então, onde se encaixa a figura do Pai Natal?