Numerologia: em que consiste?

A Numerologia é assim definida como uma técnica de análise da personalidade, iluminando as muitas facetas do comportamento humano, uma vez que o nome e a data de nascimento de uma pessoa estão em evidência por toda a vida, vibrando no inconsciente, como se fosse um código de presença.

A simbologia das cores

Assim que a influência das cores se tornou consciente para o ser humano – os antropólogos desconfiaram que a visão das cores não estava desenvolvida no Homem pré-histórico –, este aprendeu a usá-las em seu benefício. Desta forma, a cor, que até então apenas tinha uma utilidade estética, passou a ter também uma utilidade prática. Esta utilidade prática surge com a compreensão do impacto que cada cor tem no comportamento humano, ou seja, a simbologia de cada cor, desde as três cores primárias, as restantes cinco que constituem com as anteriores o espectro e as cores neutras.

Mais Portugal, mais Português!!!

Resta-nos assumir o que fomos, o que somos e o que queremos ser. Assumir os erros cometidos até então! Por todos nós! Afinal, o voto dá-nos a responsabilidade de sonhar e de exigir os nossos direitos e de cumprir os nossos deveres. Votamos em governantes para facilitar a gestão do país. Mesmo assim, é nosso dever cuidar para que essa gestão seja de qualidade e justa para todos os cidadãos.

Feliz Natal

O Natal é época de paz, amor e gratidão. Acredita nos teus sonhos e prolonga pelo ano fora esta energia vibrante de luz branca. Sê bondoso (a) com os outros, pois fazem o possível de acordo com os recursos que têm. Sê bondoso (a) contigo mesmo (a), pois também tu fazes o que podes com …

Dia de Lua Cheia

O Natal é uma época de paz, amor e gratidão! Paz de espírito… Amor-próprio e amor ao próximo… Gratidão por tudo o que temos, somos e o todo que a vida nos dá! Então, onde se encaixa a figura do Pai Natal?

A imagem fantasma em Alberto Caeiro

Esta sincronia pré-pessoal aponta, também, a sensação como imagem fantasma na poesia de Alberto Caeiro, uma vez que «as palavras levam a esperar sensações, assim como a tarde leva a esperar a noite » e «a significação do percebido é apenas uma constelação de imagens que começam a reaparecer sem razão », ou seja, as palavras são aqui o percebido transmutado em imagens que surgem do nada invisível do saber originário – «as imagens ou as sensações mais simples são, em última análise, tudo o que existe para se compreender nas palavras », porque «o nosso campo perceptivo é feito de “coisas” e de “vazios entre as coisas” », mostrando, assim, que «na leitura de um texto a rapidez do olhar torna lacunares as impressões retinianas, e que os dados sensíveis devem portanto ser completados por uma projecção de recordações ». O que pretende aqui dizer é que o sensível está envolto num caos ao qual se impõe um sentido pelo recurso às recordações colocadas em forma de dados.

O optimismo alimenta o sonho?

O caminho – o nosso caminho – clama por método, perseverança, vontade e por um estado de espírito inspirado numa filosofia de vida positiva e associado a uma postura interveniente, participativa, próprio de quem espera o melhor, contribuindo com passos concretos para atingir o desejado.
No caminho rumo aos sonhos surgem vários obstáculos para testar a nossa capacidade de acreditar na aspiração que nos move. A crise de valores pode bem ser um deles! É assim que nascem grandes feitos… nascem do sonho, da crença e de um estado de espírito que massaja a alma e empurra para a frente quando tudo parece perdido.

Os signos entre nós!

Olhar de longe aquela paisagem sensível que Godard criou através da linguagem do cinema, aponta o meu olhar para o bem e o mal de nada ver no tudo que há para ver. Aqui percebo que aquela imagem, ou fluir de imagens, indiciam a minha vontade de não querer ver a dor do mundo, a dor de um mundo que já não existe e que continua presente pelo espectro das formas que sobrevivem dele. Deste modo, não me permito levar por esse toque profundo do narrador e olho aquele fluir de imagens como uma criação desconcertante de um mundo que reconheço; olho aquelas imagens como fasma de um mundo que quero ver.

Será o livre-arbítrio uma utopia?

Parto para este ensaio com a ideia de que o livre-arbítrio é um estado mental que nos permite acreditar que somos responsáveis pela vida que temos e nos permite ser capazes de ver alternativas de resposta a uma determinada situação, que podem levar a uma escolha, decisão ou acção. O livre-arbítrio não é o resultado, nem uma escolha, nem uma decisão, nem mesmo uma acção. Logo, o livre-arbítrio não é influenciado por condicionantes internas ou externas. O que pretendo concluir é que a crença no livre-arbítrio permite-nos transformar a forma como pensamos, deliberamos e percepcionamos a situação que temos à nossa frente.

Existência

A flor de lótus dá-lhe força. É uma flor com origem na lama. A busca da luz descobre a sua pureza essencial e desvenda a importância do que somos, em vez de onde nascemos, com quem nos damos ou o que temos.

O porquê de ser…

Continuo a querer sem saber O porquê de assim o ser.

Sonho

Foi tão real que nem consigo perceber como posso lembrar-me tão nitidamente do olhar, daquele olhar que me sorriu em sonhos. Não consigo perceber!

Símbolo de harmonia

símbolo do arco-íris que compõe a alma humana

Natal, a época da gratidão

O Natal é tão simplesmente um sonho partilhado com todos os que amámos e cuidámos. Ano após ano, reunimo-nos para, com tranquilidade, amor, altruísmo e lealdade, agradecer mais uma vez o caminho único que vivemos de verdade. Assim, o Natal transforma-se numa época única, a época da gratidão.